VIDA NOVA COM A CIRURGIA BARIÁTRICA

/ / VIDA NOVA COM A CIRURGIA BARIÁTRICA

VIDA NOVA COM A CIRURGIA BARIÁTRICA

A Cirurgia bariátrica (redução do estômago) revolucionou a qualidade de vida de pessoas que eram obesas. No entanto, apesar de colher benefícios como perda rápida de peso, melhoras e até desaparecimento da apneia do sono (roncos), diabetes tipo 2, problemas cardíacos e locomotores, os ex-obesos têm de lidar com um novo problema: o excesso de pele e flacidez dos tecidos.

Consequência quase que inevitável da cirurgia de redução de estômago, as sobras de tecido epitelial depois do emagrecimento radical chegam a formar um “avental” sobre a barriga, sem contar as dobras nos braços e pernas, o que prejudica os movimentos, a autoestima e podem causar infecções no paciente.

Longe de serem apenas um tratamento estético, as cirurgias plásticas reparadoras, após a redução de estômago, são necessárias em 90% dos casos, afirmam os especialistas. Elas têm papel fundamental na recuperação da forma corporal e reinserção social do paciente ex-obeso. A cirurgia pode ser realizada quando houver estabilização da perda de peso, o que ocorre geralmente após 18 meses da cirurgia bariátrica. Nesta ocasião o paciente deve estar com IMC (índice de massa corporal) próximo dos valores normais. Para o paciente ser submetido à cirurgia plástica é importante que o mesmo esteja saudável, sem sinais de anemia ou desnutrição.

As principais cirurgias realizadas no ex-obeso, tanto em mulheres quanto em homens, são a abdominoplastia (cirurgia plástica do abdome), a mamoplastia (cirurgia para erguer ou diminuir as mamas), a coxoplastia (retirada de excesso de pele e gordura das coxas) e a braquioplastia (cirurgia para corrigir a flacidez dos braços). O paciente ainda pode precisar, eventualmente, de cirurgias para tratar a flacidez no dorso, e o excesso de pele nas pálpebras, face e região íntima.

A associação de cirurgias (como abdome e coxa, mama e braço), vai depender de condições técnicas e do quadro clínico do paciente (doenças associadas, idade, risco de trombose, etc.) e deve ser cuidadosamente analisada. O intervalo para a realização de outra cirurgia plástica deve ser de cerca de 6 meses.

O Hospital São Lucas conta com um serviço de cirurgia bariátrica e toda equipe multidisciplinar desde 2009. Até hoje já se beneficiaram quase 2000 pacientes e isso faz que o serviço seja o quarto do Brasil em volume de cirurgia bariátrica pelo SUS. O hospital ainda conta com o serviço de cirurgia plástica pós bariatrica desde 2012, que opera cerca de 10 pacientes todos os meses. O hospital está plenamente equipado para receber estes pacientes e atende SUS convênios e particulares.

2013-05-13T21:01:50+00:00 maio 13th, 2013|